SUPOSTO CASO DE SEQUESTRO DE ZOOLÓGICO EM VOLTA REDONDA NÃO PASSOU DE MAL-ENTENDIDO

SUPOSTO CASO DE SEQUESTRO DE ZOOLÓGICO EM VOLTA REDONDA NÃO PASSOU DE MAL-ENTENDIDO

O caso de uma suposta tentativa de sequestro, no interior do Zoológico Municipal, relatada em um áudio que viralizou nesta quinta-feira (4), em Volta Redonda, não passou de um grande mal-entendido. Os três homens apontados como suspeitos se apresentaram de forma espontânea na delegacia da cidade (93ª DP), com os familiares (filhos e esposas) e esclareceram a situação.

O trio formado pelos amigos Robert Davison da Silva Santos, de 29 anos, Nisan Paulino Nascimento, de 31, e Márcio da Silva, de 35, contou que foi até o Zoológico com os filhos e suas esposas na tarde da última quarta-feira (3). Eles disseram que foram à delegacia nesta quinta-feira após se identificarem na descrição do áudio.

Uma mulher relata ter sido seguida por três homens, descritos por ela como dois morenos e um branco - um deles com uma mochila infantil - no interior do Zoológico de Volta Redonda.

“A gente estava lá, brincando, rindo. Fomos à delegacia com medo de acontecer alguma coisa conosco, de exporem uma imagem nossa, ser apontado no meio da rua, ser linchado. Isso já aconteceu em outros casos de julgamentos públicos e depois não adianta, não dá para voltar atrás”, disse Márcio.

Já Nisan destacou que ficou surpreso com a rapidez como a notícia se espalhou e também temia que algo pior pudesse acontecer com eles. “A gente vê tanta coisa na televisão por causa de ‘fake news’. As pessoas não podem sair divulgando o que elas não sabem”, afirmou.

Os amigos acreditam que a confusão pode ter sido causada por uma frase dita por Robert: “Pega ela agora, senão a gente não vai pegar ela depois”. Ele explicou que se referia a uma tentativa de fotografar a onça, que naquele instante estava ao alcance das lentes, mais próximo da grade.

O coordenador do Zoológico de Volta Redonda, Jadiel Teixeira, se encontrou com o trio nesta quinta-feira também se disse surpreso com toda a repercussão e fez um convite aos três amigos e seus familiares.

“Assustadora a repercussão. Ninguém aqui tem de julgar a mulher, mas temos nossos funcionários, a administração. A senhora poderia ter nos procurado. O Zoológico de Volta Redonda é um local seguro, tranquilo e nunca tivemos nenhuma situação deste tipo em seu interior. Mas aproveito o espaço para poder convidá-los a estarem novamente conosco, junto com suas famílias, com tudo pago – pedalinho, lanche, sorvete”, disse Jadiel, se colocando à disposição também para receber a mulher autora do áudio e seus familiares, assim que ela desejar.

O comandante da Guarda Municipal de Volta Redonda (GMVR), João Batista dos Reis, corroborou a fala do coordenador do Zoo-VR, lembrando que o local em todo a sua história, nunca houve um registro de assédio ou crime.

“O local não tem este histórico. É um local seguro, que além de contar com um guarda fixo, também temos as rondas. O ‘Segurança Presente’ também faz rondas em seu interior. Além disso, o local é um lugar monitorado e temos toda a segurança necessária”, garantiu Batista.

Foto: Divulgação/PMVR