Santa Missa diária, um privilégio dos ouvintes da rádio Sintonia do Vale

Santa Missa diária, um privilégio dos ouvintes da rádio Sintonia do Vale

‘‘Você ouve em nossa programação, a Santa Missa’’. Quanto toca essa vinheta o ouvinte já sabe que está prestes a começar mais uma celebração eucarística na Sintonia do Vale FM. A transmissão acontece diariamente. De segunda a sábado, às 12h15. Já no domingo, a Santa Missa começa mais cedo, às 09h. Normalmente, a Co-Catedral Nossa Senhora das Graças, em Volta Redonda, é o local escolhido para a celebração da eucaristia. Porém, outras igrejas podem sediar a missa, dependendo da ocasião.

A Santa Missa é destaque na programação da rádio do povo desde o início. Em 2012, quando a emissora foi adquirida pela diocese, a celebração acontecia no antigo estúdio da rádio, na Califórnia, distrito de Barra do Piraí. No ano seguinte, a Sintonia do Vale mudou de endereço. Sua sede foi construída no pátio da comunidade Santa Maria do Povo, no bairro Cerâmica-União, ainda na Califórnia. Com uma igreja ao lado, a transmissão da Santa Missa acontecia nesse espaço.

Até 09 de setembro de 2019, a celebração só era programada aos domingos, a partir das 07h. A pedido de Dom Luiz Henrique, a programação da rádio do povo ganhou o reforço da celebração eucarística de segunda a sexta-feira. A partir daí, o auditório da Cúria Diocesana, em Volta Redonda, começou a receber o evento.

Dom Luiz Henrique se recorda, com gratidão, do pedido para que a transmissão da missa fosse ampliada na programação: ''Fico muito feliz de ter iniciado esta experiência da celebração da eucaristia diária, que é transmitida pelas ondas da nossa rádio diocesana.

O bispo diocesano também comentou sobre a importância da missa: ''Como nós sabemos, a eucaristia é fonte ápice de toda vida cristã, porque, através dela, nós recebemos bens espirituais fundamentais, recebemos o próprio Jesus. Com uma espiritualidade eucarística autêntica, fazemos comunhão com os irmãos, de modo que a missa diária dá oportunidade para as pessoas que não têm condições de se dirigir ao templo religioso, poder ouvir a palavra de Deus, e refletir sobre ela.

Um novo cenário é conhecido durante a pandemia

Em março de 2020, com a expansão da Covid-19, as igrejas tiveram que fechar. No entanto, isso não inviabilizou as transmissões da Santa Missa. Com a restrição de público, a missa acontecia no bispado, em Volta Redonda. Duas mudanças podem ser observadas nesse período: As celebrações também começaram a ser transmitidas no final de semana. Além da rádio, as redes sociais da diocese foram abrilhantadas com a Santa Missa.

A antiga realidade, aos poucos, começa a se tornar possível

Em julho de 2020, com a flexibilização das medidas sanitárias, a celebração eucarística retornou ao auditório da Cúria Diocesana, de segunda a sábado. Aos domingos, a transmissão acontecia na comunidade onde o bispo diocesano estava.

Ano novo, local novo

Já em janeiro de 2021, a Co-Catedral Nossa Senhora das Graças, em Volta Redonda, começou a receber a Santa Missa, determinação que se mantém até hoje. Os fiéis puderem retornar às igrejas, desde que os templos delimitassem os lugares disponíveis. Atualmente, não há mais limite de capacidade nas regiões pastorais da Diocese de Barra do Piraí-Volta Redonda.

A transmissão diária da Santa Missa é comemorada, até hoje, pelos ouvintes da rádio do povo, como a Jaqueline Oliveira. A moradora de Pouso Sêco, distrito de Rio Claro, acompanha a programação da nossa emissora em boa parte do dia: ''Eu já até me acostumei com as transmissões, é uma bênção. Para o católico, não faz sentido se faltar a Santa Missa. Eu acho muito importante ter a celebração todos os dias. Às vezes tenho compromisso em minha comunidade, mas, no geral, estou sempre ao lado do rádio’'.

A celebração eucarística é presidida pelo bispo diocesano. Quando Dom Luiz Henrique, por conta da agenda, fica impossibilitado de presidir a Santa Missa, o Clero da diocese fica responsável pelas celebrações.

Santa Missa é na Sintonia do Vale, a rádio do povo, a rádio da fé.

*Esta reportagem foi publicada na edição de maio do O Diocesano. Leia a revista completa no link abaixo: 

https://diocesevr.com.br/odiocesano/18/revista-o-diocesano-maio-2022